War of Magi PDF Imprimir E-mail
Sex, 03 de Setembro de 2010 14:57

É uma lenda em que os mais velhos contam, e poucos acreditam. Uma lenda que fala de quando o mundo todo se partiu em meio as gigantes explosões e das nuvens de enxofre que tomavam o ar. Fala da época em que os deuses lutaram entre si, transformavam homens em demônios, e faziam os pilares da existência estremecer... Essa era, segundo dizem, a “Guerra dos Magimaster” (The War of Magi)

Nem os homens e nem mesmo os Espers sabem porque, mas os deuses desceram à terra e lutaram em uma guerra sem fim. Alguns dizem que eles culpavam uns aos outros por terem sido expulsos do panteão divino, outros falam que eles enlouqueceram com o poder que tinham e pretendiam destruir seus semelhantes para reinar em absoluto... Mas a razão tão pouco importava aos homens, eles apenas sofriam com tal batalha. O imenso pode divino rachava continentes, destruía cidades, causava maremotos e queimava a natureza.

Logo o poder dos deuses afetou diretamente os humanos. Irradiados pela força dos deuses, suas existências se modificaram e muitos homens foram transformados em bestas mágicas e poderosas, as chamadas Espers. Eles tinham ainda sua inteligência e consciência, mas estavam eternamente presos em corpos bestiais... Alguns dizem que os Espers foram criados para angariar as forças de cada deus, outros dizem que eles são apenas mais uma das tristes conseqüências daquela batalha divina onde os deuses lutavam dando o maximo de si e inconscientemente acabavam alterando a realidade apenas com a força de suas mentes.

Um dia tudo teve um fim, apenas três deuses restaram e esses num momento de bom senso se tocaram de todo o mal que causaram e que tudo tinha que acabar. Prometendo nunca mais interferir nos mundos dos humanos os deuses se selaram em pedra para evitar que seu poder continuasse a agir inconscientemente. Alguns pensavam que era este o fim das catástrofes, mas era um ledo engano.

O legado dos Espers

Temidos pelos seus poderes, julgados pela sua aparência e perseguidos por deter o poder que antes era só dos deuses, a magia, os Espers agora se confrontavam com os humanos. Isso porque uma vez com seu corpo físico destruído, tudo que resta do corpo dos Espers é suas memórias e sua síntese mágica, tudo isso cristalizado em algo que denominaram como magicite. Com uma Magicite qualquer homem poderia aprender a magia, e deter um pouco do poder que outrora era divino. Os homens justificavam sua perseguição dizendo que precisavam de tal poder para reconstruir o mundo, manipular o fogo e o frio, reconstruir a natureza, mas a verdade é que muitos almejavam apenas o poder dos deuses.

Cansados de tudo, os Espers usaram seus poderes para criar uma pequena dimensão e selaram a entrada dela se separando desse mundo e levando consigo as estátuas dos deuses e toda a magia do mundo. Os homens se desesperaram porque agora não tinham mais a magia para poder lutar contra o clima, os monstros e reconstruir o que foi destruído... Mas a necessidade é a mãe das invenções e depois de 1000 anos o homem redescobriu a tecnologia e com ela pode viver de forma confortável.

O Império

Porém, depois de tanto tempo nascera o Império na nação de Vector, que possuía a maior tecnologia, exército e população do mundo. Seu poder era tanto que o Império não se aquietou, queria para si o resto do mundo, e em nome de ter o maior poder possível pretendia unir a arte do homem, a tecnologia; com a arte de deus, a magia. Unindo o poder das poucas Magicite que restaram no mundo e com o apoio do renomado cientista Cid del Norte Marguez, foi criada a Magicteck (Tecnologia mágica) que usava a magia como combustível para veículos de batalha que podiam voar e tinham um imenso poder de fogo. A genética também se desenvolveu e foi tentado de varias maneiras diferentes um modo de unir o homem á magia sem intervenção constante das Magicite. Apenas dois desses projetos tiveram sucesso: O com Celes Chere, que desde criança fora infundida em magia assimilando a arte e o poder perfeitamente, e Kefka Palazzo o único voluntário ao projeto de inserção do poder mágico em adultos, este ultimo não fora um sucesso completo, Kefka assimilara a magia e se tornara poderoso, mas sua mente entrara em colapso e se antes ele concordava apenas com uma filosofia niilista, agora ele simplesmente virou um homem insano que odiava a tudo e a todos se contentando apenas em causar destruição.

Usando o poder das Magicite o Império certa vez conseguira abrir o selo da dimensão das Espers, aprisionando vários deles. Logo eles foram expulsos antes que conseguissem fazer algum mal a mais. Porém o Império conseguira algo maior que qualquer Magicite, descobrira que tinha em mãos uma criança, fruto do amor de um Esper e uma humana, Um ser humano capaz de usar magia a um nível maior que qualquer outro... Com guerreiros poderosos capazes de usaram a magia, veículos de guerra perfeitos e o poder das Magicite, o Imperio agora tem o poder para dominar o mundo todo, mas as ambições do Imperador não se limitam ao mundo... E na verdade se concentram em conseguir o poder absoluto dos deuses... Diretamente deles.