Mundo PDF Imprimir E-mail
Ter, 04 de Janeiro de 2011 13:46

Além de um battle system fantástico, Final Fantasy Versus XIII contará ainda com um mundo quase real para ser explorado. Nomura irá usar o país inteiro do protagonista e o “Outside World” (mundo exterior) como palco da aventura. É bom lembrar que a maioria dos lugares do game serão réplicas idênticas de locais que realmente existem, e daremos exemplos de como o mundo de Versus XIII é crível. Abaixo seguem os detalhes que temos das localidades, e de suas inspirações no mundo real.

 


Reino da família Caelum

A nação governada por Noctis da dinastia Caelum, ainda sem nome revelado, avançou tecnologicamente graças ao cristal, e acabou se isolando do restante do mundo. Prédios, avenidas e carros estilosos fazem parte do panorâma da nação. Apesar da modernidade, o país utiliza ainda um sistema monarca, e mantêm costumes e regras passados. A nação também é protegida pela Magic Order, uma espécie de instituição.

 

 

O cristal (o último existente) está guardado no palácio real, dentro do pilar central situado atrás do trono do príncipe. Em relação ás áreas, temos nomes de algumas localidades do país: West Insomnia, Nihilsomno (latim para "Harsh Valley"), VallisAcerba (latim para "Sleepless"), e Nigelheim (pode se referir a outro reino também);

A aparência geral da nação e sua arquitetura é contemporânea e têm influência direta da cidade de Tokyo (Japão), mais precisamente em Shinjuku, que é onde o prédio da Square-Enix se localiza. Nomura decidiu usar a área como material para Versus XIII porque gosta muito do local. A avenida exibida nos trailers é uma réplica da rodovia de Tokyo; já o túnel é inspirado em um túnel perto da cidade de Ginza. A equipe de Nomura dirigiu por essa rodovia diversas vezes e conduziu pesquisas para que ele fosse representado o mais fielmente possível no game, sendo os sinais de rua os únicos elementos não inseridos, por serem muito grandes e não se encaixarem no ambiente de Versus XIII.

 

 

 

Tenebuera

Outra nação do mundo de Versus XIII, esta comandada pela Casa Fleuret, família de Stella. Uma lenda em Tenebuera fala de uma deusa da morte que concebe poderes especiais ás pessoas que vêem a "luz". No país de Noctis há uma lenda parecida. Tenebuera é um nome em latim, e significa "escuridão" ou "sombras".

 



“Outside World”

Devido á destruição dos cristais do mundo exterior, deu-se início a um período de ruína, um estado de decadência, como pode ser visto em algumas áreas exibidas nos trailers. A situação lamentável é consequência da falta dos cristais, o que nos faz entender o porquê das nações rivais quererem desesperadamente o último cristal. Quem possuí-lo não só garantirá uma nação estável como também, nessas circunstâncias, se tornará a maior potência mundial.

 

 

As cidades do mundo exterior são destacadas pela arquitetura medieval. Até os soldados usam armaduras que remetem a antiguidade, mesmo que portem metralhadoras modernas e lança-mísseis. Os países de fora começaram a se fortalecer com armas de fogo, provavelmente, com o intuito de roubarem o último cristal, nascendo assim uma guerra fria que pode estar próxima de ter um fim. Uma construção de uma área do mundo exterior foi inspirada na Basilica de São Marcos em Veneza. A equipe se inspirou bastante na Itália para a concepção do mundo.

 








Final Fantasy Fashion Week

Nomura decidiu contratar uma empresa de moda para cuidar do figurino (representar graficamente o tecido das roupas tomaria muito do tempo da equipe). Também era mais viável para enaltecer o realismo com a Roen tomando conta das roupas. Até agora temos fotos de exemplares de vestidos de Noctis e Stella:

 

 

 

 

Curiosidades:

  • Versus XIII apresentará paisagens mais naturais em relação ás áreas de Final Fantasy XIII;
  • A participação de Yoshitaka Amano não será restrita apenas ao logo e á imagem de Etro no quadro. Mais artworks do artista aparecerão como pintura durante o game;
  • É provável que todos os nomes próprios de personagens, cidades, e talvez até de armas e magias, serão em latim. A língua foi escolhida pela equipe por ser ao mesmo tempo misteriosa e interessante, apesar de ser um idioma morto;