Review PDF Imprimir E-mail
Sex, 03 de Setembro de 2010 23:53

FF mesmo na época da Squaresoft já tinha varios Spin-offs (jogos que não pertencem a sua saga principal), são exemplos disso o frustrado FF Mystic Quest e os obscuros FF Adventure e FF Legends do primeiro Gameboy.

Mesmo hoje com o lançamento de quase cinco Final Fantasys saindo a cada ano os fãs tem a certeza que nenhum Spin-off com o nome Final Fantasy foi tão brilhante e fantástico como Final Fantasy Tactics.

FFT é isso, um jogo tão bom que rivaliza em qualidade até mesmo com os melhores jogos da saga principal.

Um épico que nenhum fã deve perder.

A maior qualidade de FFT além de sua jogabilidade é não ter a pretensão de ilustrar personagens cool com personalidades desconexas e roupas estranhas nem mortes épicas ao som de piano. Aqui, o enredo gira em torno das diferentes decisões e concepções de cada homem em meio a sociedade hipócrita e corrompida da idade média.

O mundo de Ivalice em FFT foi inspirado nos tempos medievais de nosso mundo. Ivalice é um Império podre construído com a ganancia dos nobres, um lugar onde a plebe é tratado como uma corja e a igreja é apenas um instrumento corrupto de poder e submissão, exatamente como nosso mundo foi a algumas centenas de anos atrás.

Logo, com a sede de poder dos governantes, o império cai e começa uma guerra onde além dos confrontos, todos tentam manipular seus aliados para obter mais poder. É ai que dois homens fazem a diferença e constroem a história seguindo caminhos opostos.

O enredo de FFT faz mais do que contar uma história, ele envolve e bota em cheque

O Sistema e a Jogabilidade

Apesar de ter um sistema viciante e muito interessante FFT não é um campeão em originalidade. Ele foi feito pela mesma equipe e nos mesmos moldes de Tactics Ogre, um excelente jogo da Quest. Os jogos são tão similares na jogabilidade que FFT chega a parecer um plágio.

Isso retira sim alguns méritos de FFT mas não o exclui de ser um jogo excelente em muitos os sentidos, afinal quem resiste ao sistema de Jobs? Presente antes em FFIII, FFV e mais viciante do que nunca em FFT.

Poucos jogos eram tão divertidos de se evoluir quanto FFT, voce tinha dezenas de habilidades pra destravar em cada Job e varios outros Jobs pra destravar e descobrir segredos, cada Job tinha uma função completamente diferente possibilitando infinitas possibilidades.

As batalhas então levavam o sistema de turnos ao máximo da tensão e diversão. Cada personagem tem sua vez para se movimentar e fazer alguma ação, sua funcionalidade na batalha depende de sua profissão e mais do que uma boa estratégia o jogo também exigia sorte para que você conseguisse superar o exército inimigo, aos poucos o exército que você moldou ao seu gosto com as infinitas possibilidades de Job vai sendo substituído pelos personagens especiais que o jogo lhe oferece. Não que suas unidades sejam ruins mas quem pode resistir ao carisma desses personagens e suas habilidades embasbacantes?

FFT é um jogo com a dificuldade na medida certa trazendo toda a emoção que uma batalha acirrada pode oferecer. Quem nunca cruzou os dedos pra que o inimigo erre a espadada? Ou quase se desesperou ao notar que não conseguiria reviver o seu personagem a tempo antes que ele desapareça para sempre?

Uma pena que perto do final, o jogo perde boa parte da dificuldade com a inclusão de um personagem absurdamente forte (é, ele não é chamado de deus a toa) e com um chefe final extremamente facil. Mas ainda assim, isso não atrapalha a experiencia do jogo como um todo que o caracteriza como um dos jogos mais divertidos de toda a série.

E toda essa diversão ainda é embalada pela trilha sonora fantástica de Hitoshi Sakimoto cujas composições se mostram tão perfeitas quanto as do mestre Nobuo Uematsu.

Os gráficos do jogo também não ficam atrás. Misturando sprites em ambientes 3D o visual do jogo é um dos mais carismáticos e interessantes dos FFs da era Playstation.

Imperdivel.

FFT foi um dos jogos mais divertidos e viciantes de toda a saga, tendo um enredo fantástico que até hoje é dificil de ser superado. Ele pode ter abusado em se inspirar demais nos sistema de Tactics Ogre e FFIII/FFV mas não deixa de ser um jogo imperdível.

Uma pena que a versão ocidental do jogo perdeu minigames e dezenas de dialogos dos personagens comuns além de ser muito mal traduzida; Uma pena que FF Tactics Advanced jogou a franquia ao vento ao ser um jogo de estratégia sem dificuldade e ter um foco tão estranho; E não deixa de ser uma pena também que poucos jogadores tiveram a oportunidade de jogar Tactics Ogre (tem pra GBA, Playstation).

De toda forma FF Tactics tem seu brilho próprio e é um jogo obrigatório pra qualquer jogador.